Realidade do atletismo brasileiro

As atletas Maurren Maggi e Keila Costa reclamam da estrutura para treinamentos.

por Everson Alves

Apesar da melhora dos últimos anos, as condições de treinamento dos nossos atletas ainda é precária. Faltam pistas, clubes estruturados e preparados para o atletismo. As atletas Maurren Maggi e Keila Costa falaram ao Lance! sobre as dificuldades nos treinamentos.

Uma é campeã olímpica e atleta consagrada, a outra está com a carreira em ascensão e acabou de conquistar uma medalha de bronze no Mundial Indoor de Doha (site em inglês).

As duas atletas enfrentam condições de treinamento muito complicadas. A pista do Ibirapuera está interditada pelas reformas. A reforma ainda deve demorar cerca de 1 ano e meio. Nesse meio tempo, as atletas seguem improvisando em uma pista de borracha providenciada pela CBAt.

Pista atletismo. (AussieDingo/flickr)

Pista atletismo. (AussieDingo/flickr)

Após décadas de descaso, o atletismo brasileiro começa a receber grandes investimentos. Somente para a reforma da pista do Ibirapuera são mais de R$ 30 milhões.

A campeã olímpica Maurren Maggi sugere que uma cidade igual São Paulo deveria ter pistas de atletismo espalhadas por toda cidade. Keila Costa reclama principalmente da demora de as coisas acontecerem como prometido.

Assim, com muitas dificuldades, o atletismo brasileiro segue seus treinamentos para as próximas competições.

Seja o primeiro a comentar!

Participe, deixe um comentário: