Joaquim Cruz

por Everson Alves
  • Data de Nascimento: 12/03/1963
  • Peso e altura: 77.00kg | 1.88m
  • Melhores marcas: 800 metros » 1:41.77 | 1500 metros » 3:34.63
Joaquim Cruz prestigia o Pan de 2007. (Marcello Casal Jr/ABr)

Joaquim Cruz prestigia o Pan de 2007. (Marcello Casal Jr/ABr)

Joaquim Cruz, nasceu em 12 de março de 1963 e é um ex-atleta meio-fundista brasileiro. Aos treze anos começou a carreira jogando basquete no SESI de Taguatinga, cidade onde nasceu. Com quinze anos atingiu a marca de 1’51” nos 800 m. Em 1981, bateu o recorde mundial juvenil com 1’44”3 no Trofeu Brasil de Atletismo no Rio de Janeiro. Ganhou uma bolsa de estudos na Universidade de Oregon, em 1983, e logo mostrou melhores resultados, venceu os 800 m no campeonato colegial americano NCAA.

Em 1983, Joaquim conquistou a medalha de bronze em Helsinque nos 800 m e em 1984 ganhou o ouro nos Jogos Olímpicos de Los Angeles na mesma modalidade. Joaquim Cruz era um dos favoritos e cruzou a linha de chegada em 1’43”, tornado-se o primeiro brasileiro no atletismo a conseguir a medalha de ouro desde Adhemar Ferreira da Silva, medalhista de ouro em 1952 e 1956.

Ainda em 1984, o atleta bateu mais um recorde brasileiro nos 800 m em uma competição em Colônia, marcou 1’41”77 foi apenas quatro centésimos de segundo acima do recorde mundial. E ficou até 2008 sendo o terceiro atleta mais rapido no histórico da competição. Em 1985 foi eleito o “Desportista do Ano” em uma votação de jornalistas e radialistas brasileiros o atleta obteve 98 votos dos 107 totais. Nessa época, ficou um tempo sem competir pois sofreu lesões.

Em 1987, no Pan-Americano de Indianápolis, ganhou o ouro nos 1500 m e em 1988 conquistou a medalha de prata nas olimpiadas de Seul (800 m). Não pôde participar das Olimpíadas de Barcelona em 1992 por problemas no tendão de Aquiles. Conquistou o ouro nos jogos Pan-americanos de Mar del Plata em 1995, nos 1500 m.

Em 1996, nas olimpíadas de Atlanta, foi o porta-bandeira da delegação brasileira na cerimonia de abertura, sua última Olimpíada. Encerou a carreira em 1997 no Rio de Janeiro na prova Troféu Brasil de Atletismo.

Em 1999, Joaquim Cruz foi homenageado pela revista norte americana “Competitor”, como uma lenda olímpica de todos os tempos. Hoje vive com sua esposa Mary e os filhos Kevin e Paulo, em San Diego, Califórnia e trabalha como treinador. Foi técnico da equipe de atletismo dos Estados Unidos no Parapan-americanos de 2007 e nos jogos paraolímpicos de 2008, em Pequim.

Em 2007, teve a honra de acender a pira dos Jogos Pan-Americano. A escritora Kátia Rúbio, escreveu um livro chamado “Joaquim Cruz – Estratégias de preparação psicológica: da prática à teoria” baseado nas experiência do atleta, o livro é da Editora Casa do Psicólogo.

Seja o primeiro a comentar!

Participe, deixe um comentário: