Entrevista Monica Otero

A ultramaratonisa Monica Otero estréia o quadro semanal "Entrevista Atletx"

por Everson Alves

Nesta seção, entrevistaremos atletas profissionais e amadores, técnicos e pessoas relacionadas ao atletismo.

Ninguém melhor para estrearmos a seção Atletx Entrevista que a ultramaratonisa Monica Otero.

Atletx – Quando surgiu o interesse pelo esporte? E o que o esporte representa na sua vida?
Monica:  A minha vida inteira sempre fui ligada ao esporte, mais precisamente em caminhadas. Eu sempre gostei de andar, desde menina tenho esse hábito. Lembro-me que quando tinha por volta de 6 ou 7 anos de idade a minha mãe me chamava pois estava na hora de ir para a escola e eu nunca estava em casa.  Então meu pai saía para me procurar. Ele já sabia onde eu estava. Estava dando volta no quarteirão. Hoje o esporte é a minha vida.

Monica Otero e os 250 Km no Deserto do Saara. (Wouter Kingma/divulgação)

Monica Otero e os 250 Km no Deserto do Saara. (Wouter Kingma/divulgação)

Faltando ainda 100 Km para cruzar a linha de chegada, eu penso que ainda estou começando a prova. Nem pensar em desistir! E para ter mais ânimo sempre dedico cada prova a uma pessoa importante pra mim.

Atletx – As provas de ultramaratona são desafiantes, tanto pelo lado físico quanto pelo trabalho psicológico durante as provas. Como você enfrenta suas provas? Por exemplo, faltando ainda 100 Km para cruzar a linha de chegada, o que você pensa, qual a sua grande motivação para finalizar a prova?

Monica: É aí onde eu mais gosto. O desafio. E antes de ir para uma ultra existe todo um planejamento. Procuro obter o maior numero de informações possíveis sobre ela e vou treinar especificamente para esta prova. Por exemplo: se vou carregar mochila muito pesada, nos meus treinos vou focar mais as costas, se for deserto quente, procuro treinar na hora mais quente do dia e depois ir para a sauna.

Quando fui correr no deserto do Saara eu sabia que todo o líquido que eu bebesse estaria quente, então nos meus treinos eu só colocava água bem quente no squeeze e saía para treinar. No início era simplesmente horrível, e eu me perguntava: Será que preciso fazer isso mesmo?  E eu respondia com a voz bem alta:  Sim, é necessário e muito importante.

Quando corro com equipe de apoio, sempre há um líder. E é a ele que me dirijo para saber tempo, quilometragem e tudo mais. Quando corro só e não existe equipe faço um planejamento bem simples e coloco no papel. Preciso chegar em tal lugar até tal hora e assim por diante. Esse controle não pode ser feito com distâncias muito grande, pois caso eu me atrase, dá para conseguir tirar essa diferença até o próximo ponto de checagem.

Faltando ainda 100 Km para cruzar a linha de chegada, eu penso que ainda estou começando a prova. Nem pensar em desistir! E para ter mais ânimo sempre dedico cada prova a uma pessoa importante pra mim. Então preciso concluí-la.

Chuva durante a Ultramaratona Brazil 135. Monica completou a prova em 67 horas. ( Wouter Kingma/Divulgação )

Chuva durante a Ultramaratona Brazil 135. Monica completou a prova em 67 horas. (Wouter Kingma/Divulgação)

Atletx – Qual a sua rotina de treinamento?

Monica:  Vou explicar meu treino semanal na academia: musculação leve 3 vezes, aula de pilates 2 vezes, alongamento 3 vezes. Eu intercalo os dias de musculação e pilates. O treinamento de corrida é feito na rua 6 dias por semana. As vezes corro por tempo, as vezes por quilometragem. Quando chove muito corro na esteira. E para variar um pouquinho faço aulas de hidro, mas não com tanta freqüência. Este é o treino normal. Quando sei que vou para alguma ultra dou ênfase  ao que será mais exigido nesta prova.

Cuidado com a temperatura do corpo. Bastante gelo durante a prova. ( Wouter Kingma/Divulgação)

Cuidado com a temperatura do corpo. Bastante gelo durante a prova. (Wouter Kingma/Divulgação)

Atletx – Qual a sua prova inesquecível?

Monica:  Cada prova tem a sua particularidade, a sua importância e o seu grau de dificuldade. A do Saara acredito que até agora tenha sido a mais difícil, mas a prova inesquecível com certeza será a Brazil 135 Ultramarathon 2010. Ela teve um sabor de revanche, de vitória, de alívio. Era a terceira vez que eu tentava. Em 2006 (primeira ultra) corri 160 Km em 36 horas. Em 2007 concluí, mas fora do prazo regulamentar (fiz em 67 horas) e agora em 2010 concluí em 57:47 horas. Ela sempre será uma prova  especial. Eu estava muito triste, muito abalada emocionalmente. Minha mãe faleceu poucos dias antes da prova.  Dediquei esta prova a ELA e aos médicos do Hospital Albert Einstein.

Atletx – Algum recado para quem ainda não pratica esporte e está pensando em começar a treinar?

Monica:  Comece imediatamente, mas antes procure um profissional ou uma academia e faça uma avaliação física. A sua vida com certeza vai mudar.

Atletx – Você se recorda de algum fato curioso ou uma situação inusitada que enfrentou nas provas?

Monica:  Em 2007 na Brazil 135 corrí sozinha, sem equipe de apoio. Parei um pouco para descansar na Praça de Borda da Mata. Peguei no sono. Acordei com policiais me dizendo que eu não poderia dormir ali na praça. Eu  perguntei a eles: quem está dormindo? Eles responderam: a senhora. Eu???? Eu não…. Não teve jeito, tive que entrar no carro policial e eles me deixaram na porta de uma pousada. Fiz de conta que entrei, mas não entrei… assim que eles saíram subi a praça correndo novamente e voltei para a trilha. E isso contribuiu e muito para aumentar o meu tempo.

Atletx – Quais são os seus próximos desafios? ( A Monica está procurando apoio e patrocínio para a prova Run The Coast. Maiores informações, entre com contato com a atletaEmail:[email protected] Telefone: (11) 8458-3858 )

Monica:
1. Badwater Ultramarathon – julho de 2010

2. Tenho diabetes tipo 2 e gostaria de participar do desafio RUN THE COAST que consiste em correr 500 milhas (800 km) no período de 2 a 16/11/2010 na costa americana, de San Francisco a San Diego, na Califórnia. O projeto tem como objetivo arrecadar fundos para IRON ANDY FOUNDATION. Doa-se USD 1 por milha percorrida e o valor arrecadado vai para cobrir os custos do acampamento/treinamento de crianças com diabetes.

Atletx – Por fim, muito obrigado pela entrevista. Se você desejar agradecer alguém, algum patrocinador ou deixar seu contato, sinta-se à vontade.
Monica: Agradecimentos: Target Fit Club, Emerson Bisan da Nova Equipe e a Camila do Centro de Qualidade de Vida.
Contato Monica Otero
e-mail: [email protected]
celular: (11) 8458-3858 / 8809-0588

Seja o primeiro a comentar!

Participe, deixe um comentário: