1500 metros

1500 metros, quase 4 voltas na pista de pura emoção e superação

por Everson Alves

A prova de 1.500 metros se destaca por chegadas incríveis. A capacidade de superação e de concentração já proporcionaram viradas quase impossíveis. O atleta precisa dosar o gasto de oxigênio com um ritmo adequado.

São 3 voltas completas e mais ¾ de volta para completar essa competição. Os 1.500 metros são muito duros e a partir dessa prova o biotipo dos atletas já começa a mudar completamente.

Enquanto tínhamos atletas extremamente fortes e explosivos nas provas rasas, o atleta meio-fundista dos 1.500 metros deve ter muita resistência e dominar muito bem seu ritmo para completar a prova.

A largada é realizada com todos alinhados na mesma linha e não há restrição de raias para cada atleta. Ao sinal de largada todos correm para a raia interna. Uma boa estratégia é manter o mesmo ritmo dos ponteiros e se preparar para o sprint da última volta. Não é aconselhado se manter nas últimas colocações durante a prova de 1.500 metros – há o risco de uma tentativa de reação ameaçada pela grande quantidade de atletas à sua frente e a dificuldade de ultrapassá-los.

Atualmente, essa modalidade do atletismo é dominada pelos africanos, especialmente os quenianos, marroquinos e etíopes. Há pouco mais de duas décadas, os atletas africanos se destacam nas provas de longa distância no mundo. Nos 1500 metros não é diferente.

O recorde dos 1.500 metros já dura mais de 10 anos e pertence ao marroquino Hicham El Guerrouj.

Prova dos 1500 metros no mundial de Osaka/2007.

Prova dos 1500 metros no mundial de Osaka/2007. (Phil McElhinney/flickr)

Seja o primeiro a comentar!

Participe, deixe um comentário: